Além do Pão e do Vinho

João Barreto Jr.

1Coríntios 11


22 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;

23 E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

24 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.

25 Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.


A ceia faz parte da vida da Igreja, consequentemente faz parte de nossa vida também.

Observando a expressão “fazei isto”, percebemos que se trata de uma ordem, e isso fica ainda mais evidente quando Jesus repete a expressão “todas as vezes que”, significando que este ato faz parte da vida da igreja.


Como a ceia era praticada


Mateus 26


23 E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo.

24 E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos;

25 Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.


Perceba que o texto diz que “quando comiam, Jesus tonou o pão”, ou seja, antes de celebrar a ceia do Senhor, propriamente dito, eles já estavam se alimentando.


Atos 2


44 E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.

45 E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo a necessidade de cada um.

46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração...


Na igreja primitiva, quando celebrada nas casas, a Ceia do Senhor era também chamada de festa de amor. Os irmãos se reuniam para ter comunhão ao redor da mesa, onde tomavam suas refeições juntos; e juntamente com as refeições celebravam a Ceia do Senhor.

Com a passar do tempo a prática singela da ceia foi se corrompendo, pelo menos em Corinto. A partir disso passamos a entender o que realmente Paulo está falando em 1 Coríntios 11.


17 Nisto, porém, que vou dizer-vos não vos louvo; porquanto vos ajuntais, não para melhor, senão para pior.

18 Porque antes de tudo ouço que, quando vos ajuntais na igreja, há entre vós dissensões; e em parte o creio.

19 E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós.

20 De sorte que, quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor.

21 Porque, comendo, cada um toma antecipadamente a sua própria ceia; e assim um tem fome e outro embriaga-se.


Na sequência dessa exortação Paulo escreve o texto que lemos no começo (1 Coríntios 11: 22 a 25), onde ele descreve como a ceia deveria ser praticada. Depois de explicar isso ele continua exortando a igreja:


27 Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.

28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice.

29 Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.

30 Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.

31 Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados.


Precisamos entender o verdadeiro sentido da ceia, só assim participaremos dela dignamente

Paulo está chamando atenção da Igreja para o verdadeiro sentido da Ceia do Senhor, a que Jesus estava se referindo quando disse “fazei isso em memória de mim”. Fazer o que?


Comer o pão é anunciar a morte de Cristo, partir pão é anunciar que a Igreja está replicando o amor de Cristo na vida das pessoas da comunidade.


A ceia nos convida a olhar para o próximo e agir em favor dele.

Participar indignamente da Ceia do Senhor é desprezar essas verdades, é não discernir esse porquê do Corpo, é não socorrer os irmãos que por não serem socorridos muitos enfraquecem, desanimam e desfalecem na fé.


A Ceia do Senhor além de nos convidar a olhar para o próximo, ela nos convida também a olharmos para a cruz, onde Cristo morreu a nossa morte para que pudéssemos ter em nós novamente a vida de Deus. A vida que é eterna e nos dá a certeza de uma salvação eterna. Tomar do cálice (vinho) nos relembra do sacrifício perfeito que, não só nos purificou plenamente de todo pecado, mas também nos isentou de culpa por meio de um eterno perdão.


A Ceia do Senhor também nos convida a olhar sempre à frente, onde está a nossa esperança, pois quando fazemos isso anunciamos a sua morte até que Ele venha.


34 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo